Blog

Atenção mães doadoras de leite e/ou trabalhadoras: o Posto de Coleta de Leite Humano da Opima está oficialmente aberto!

O Posto de Coleta de Leite Humano (PCLH) da OPIMA é mais uma maneira de estarmos promovendo, protegendo e apoiando a prática da amamentação que é imprescindível à saúde da criança, ao combate à desnutrição e à mortalidade infantil, como preconizado pela OMS (Organização Mundial de Saúde) e pela SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria).

Ele, a partir de agora, está aberto ao público, com objetivo de atender as mães com dificuldades de amamentação ou com problemas mamários. As mães ligam pra marcar seu atendimento no horário comercial de segunda a sexta, das 8h às 18h. E estamos também executando um trabalho especial com as mães trabalhadoras, que muitas vezes desmamam para voltar ao trabalho, ou acabam dando mamadeira e fórmulas.

Com o PCLH da Opima estamos incentivando a retirada do leite no período de licença para, após o retorno ao trabalho, as mães poderem ofertar o leite dela, que sabemos ser o mais completo para o seu filho. O PCLH também vai ajudar a suprir leite humano em quantidade e qualidade que permita o atendimento aos lactentes internados nas unidades neonatais e os que estão impossibilitados de serem amamentados diretamente ao peito, pois sabemos que 30% do leite que for para pasteurização ficará como doação para esses bebês.

Mas por que recorrer ao PCLH?

Com a oferta do leite humano, as mães protegerão seus bebês, principalmente porque, ao voltarem para o trabalho, deixarão seus filhos em escolas ou creches, que sabidamente são locais onde as crianças ficam mais expostas às infecções. Recebendo o leite humano, elas ficam mais protegidas e têm a chance de ficar menos doente, diminuindo também o uso de antibióticos e internações. Assim, as mães trabalhadoras também vão faltar menos no trabalho, pois seus filhos são mais saudáveis.

Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, o leite de vaca só pode ser dado acima de 1 ano de idade, devido a doenças que podem aparecer no futuro, como diabetes, dislipidemias, aumento de alergias entre outras, e, geralmente, as mães voltam ao trabalho em torno do 4º ou 6º mês do bebê. Sendo assim, deveria usar fórmula infantil quando esses bebês estão desmamados. Ao usar fórmula, o custo aumenta muito pras famílias; logo, se ela está amamentando e podendo ter o seu leite pasteurizado, ela, além de não ter custos com a compra de fórmulas, terá ainda outras vantagens:

Portanto, o PCLH da Opima quer desenvolver um trabalho digno e segue as normas da RDC 171, de 4 de setembro de 2006, e está de acordo com o Art. 5º, onde é vedada a comercialização dos produtos coletados, processados e distribuídos  pelo Banco de Leite Humano e pelo Posto de Coleta de Leite Humano.

Visamos doadoras de leite humano, nutriz saudável que apresenta secreção lática superior às exigências de seu filho, e que se dispõe a ordenhar e doar o excedente; ou aquela que ordenha o próprio leite para manutenção da lactação e/ou alimentação do seu filho.

Exames necessários!

Sabendo que parte do leite das mães trabalhadoras vai ser usado por bebês internados em UTI neonatal, e para que esse leite seja pasteurizado, é necessário trazer os seguintes exames atualizados (no máximo, até 3 meses): 

Dessa forma, quem estiver interessada em recorrer ao PCLH da Opima, primeiramente, é preciso estar com todos estes exames em mãos. Em seguida, basta agendar uma consulta de orientação com a nossa pediatra, Dra. Andréa Gouveia. 

Por fim, como responsável técnica e pediatra neonatologista, a Dra. Andréa Gouveia vai se empenhar para continuar lutando pelo aleitamento materno até 2 anos de idade ou mais pra nossas crianças!

Mais informações: (15) 3273-2249