Blog

Atraso mortor X Atraso cognitivo

Muitas vezes, ficamos em dúvida com relação ao desenvolvimento do bebê e surgem questionamentos como: qual a idade certa para engatinhar? Quando começará a sentar? Posso colocá-lo no andador?

E, por conta disso, o atraso no desenvolvimento do filho pode passar desapercebido pelos pais. Neste caso, sempre procurar informação e ajuda profissional é o primeiro passo. Veja o que nossa fisio, Telma Barros, tem a falar sobre o assunto!

"A falta de informação sobre desenvolvimento infantil tem levado muitos pais a uma situação de “comodismo” em relação a seus filhos. Hoje, observam-se muitos casos de bebês com 10, 11 meses, ás vezes até com 1 ano de vida, que simplesmente não saem do lugar. E o que é mais preocupante: os pais acham isso normal.

O que eles provavelmente não sabem é que os dois primeiros anos de vida de uma criança constituem a base para o desenvolvimento de todo o resto de sua vida. Outra informação importante: cognição (inteligência) e o sensório-motor se desenvolvem simultaneamente, podendo-se deduzir que um atraso no desenvolvimento sensório-motor nessa fase da vida pode levar a um atraso escolar no futuro.

O raciocínio é simples: um bebê que se mexe mais, que sai do lugar (seja rolando, arrastando-se, engatinhando ou andando) explora mais, apreende mais informações do ambiente que um bebê que simplesmente não sai do lugar e fica esperando que tudo venha até suas mãos.

Não é à toa que um bebê entre 9 e 12 meses muitas vezes é encontrado entrando nos armários, tirando objetos de gavetas, escalando móveis, etc. Ao fazer isso, ele está conhecendo o mundo, explorando, e coletando informações que serão usadas por toda a sua vida.

No entanto, isso não significa que colocar um bebê no andador é saudável. Pelo contrário, ele acaba sendo privado de explorar melhor o ambiente (embaixo, dentro, em cima dos móveis, assim como frestas entre eles), e com isso não assimila as informações sensoriais necessárias para, por exemplo, o aprendizado da matemática na escola. Enfim, o andador atrasa o desenvolvimento infantil.

Porém, para um bebê que está muito “sossegado” em seu desenvolvimento, não muito preocupado em sair do lugar para explorar o ambiente, existe tratamento. A estimulação sensório-motora realizada por fisioterapeuta ajuda o bebê a desenvolver-se e, consequentemente, obter mais informações sobre o mundo, evitando, muitas vezes, um atraso cognitivo prejudicial ao aprendizado escolar no futuro.

Portanto, para os pais que acham que não há nada de errado com seu filho de 10-11 meses, que só fica sentado sorrindo para eles ao invés de ir atrás de alguma coisa, um aviso: vocês podem estar prejudicando o desenvolvimento de seus filhos. Fiquem atentos!"