Blog

O papel do irmão!

 

Quem tem irmão, sabe: é uma relação deliciosa! Apesar as briguinhas, crises de ciúmes e "arranca-rabos", os irmãos são os nossos primeiros melhores amigos. E é com eles que aprendemos o verdadeio sentido da divisão.

Divide-se os pais, os brinquedos, os espaços, os afetos, tudo! Um estudo realizado pela Penn University, nos Estados Unidos, apontou que irmãos passam, em média, 33% da vida juntos.

E, ao contrário da relação com os pais que é vertical, pois são os chefes da família, a relação entre irmãos é em tese horizontal, já que eles têm os mesmos direitos.

É com os irmãos que aprendemos a se socializar e enfrentar o mundo, enquanto os pais ficam com a tarefa de transmitir valores. De acordo com a Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo (SBPSP), os irmãos podem se tornar cúmplices e se apoiar em situações difíceis, mas isso depende de como a família se organizou para acomodá-los. A qualidade do vínculo depende dos pais e de sua capacidade de se dividir entre os dois.

A Revista Crescer divulgou algumas dicas super bacanas para ajudar os pais a fazerem com que os irmãos se tornem amigos. Veja só:

- Crie um “dia do filho único” e faça programas separados com cada um;

- Permita que façam atividades e tenham interesses diversos: natação pode ser ótima para os mais velho, mas o mais novo pode preferir teatro;

- Não comparar notas ou desempenho escolar: cada filho deve ser estimulado a melhorar em relação aos seu prório desempenho, não em relação ao do irmão;

- Não incite a competição entre eles;

- Adote uma postura apaziguadora nos conflitos;

- Garanta que saibam que são igualmente amados;

- Respeite as diferenças etárias de cada um;

- Permita que tenham amigos e uma vida particular exclusiva.

Não importa se são gêmeos, adotados, de pais diferentes, de sangue, de coração. Irmão é irmão e sempre estarão ligados.