Blog

Toxoplasmose na gestação

Você sabia que a toxoplasmose é uma doença infecciosa que pode levar a complicações sérias para o feto quando adquirida durante a gravidez? Isso mesmo! O Toxoplasma gondii, protozoário que causa a toxoplasmose, pode atravessar a placenta e atingir o feto. E quanto mais precocemente o feto se infectar, maiores são os danos causados pela toxoplasmose. Em contrapartida, quanto mais tardiamente ocorrer a infecção materna, maior a chance do feto se infectar, porém as sequelas são menores.

Os danos sofridos pelo feto são muitos. A toxoplasmose congênita pode causar aborto, danos neurológicos, oculares, incluindo a micro ou macrocefalia, hidrocefalia, calcicações cerebrais, retardo mental, estrabismo e convulsões. O pior é que a maioria das crianças nascidas infectadas podem nao ter sintomas ao nascer, podendo apresentar sequelas na infância ou adolescência.

Por isso, a realização da sorologia para toxoplasmose (IgG e IgM) deve ser solicitado rotineiramente no pré-natal, o mais precoce possível, sendo o ideal antes de 16 semanas de idade gestacional.

Caso a sorologia venha negativa, isto é IgG e IgM não reagentes, isso quer dizer que a gestante nunca teve toxoplasmose e então precisa tomar todos os cuidados necessários para não ter toxoplasmose na gestação.

As medidas para se evitar adquirir toxoplasmose na gestação são:

 

Não ingerir carnes cruas, mal cozidas ou mal passadas.

Lavar as mãos ao manipular alimentos.

Após manusear a carne crua, lavar bem as mãos.

Lavar bem frutas, legumes e verduras antes de se alimentar.

Usar luvas e lavar bem as mãos após contato com o solo e terra de jardim.

Evitar contato com fezes de gato no lixo ou solo.

Não consumir leite e seus derivados crus, não pasteurizados, seja de vaca ou de cabra.

Propor que outra pessoa limpe a caixa de areia dos gatos; caso não seja possível, limpá-la e trocá-la diariamente, utilizando luvas e pazinha.

Alimentar os gatos com carne cozida ou ração.

Lavar bem as mãos após contato com os animais.

 

 E se a sorologia para toxoplasmose vier positiva? O que fazer?

Primeiro é preciso saber qual anticorpo deu positivo, o IgG ou o IgM. Se somente o IgG veio positivo, a gestante pode ficar tranquila, porque já teve toxoplasmose no passado e está imune a esse parasita, não apresentando perigo de ter novamente na gestação. Agora, quando o anticorpo IgM vier positivo e o IgG negativo, isso quer dizer que a gestante foi infectada durante a gestação e corre risco de infectar o bebê também.

Outra situação é quando os dois anticorpos, IgG e IgM, vierem positivos. Nesse caso, é preciso realizar um outro teste, que é chamado de teste de avidez, e que avalia se a infecção foi adquirida antes ou durante a gravidez. Se o teste de avidez mostrar que a infecção foi durante a gravidez, o feto também corre risco de ter toxoplasmose congênita.

Caso os exames mostrem que a gestante foi infectada durante a gravidez, tem algo que possamos fazer para impedir que o feto se infecte também? Sim, sim e sim!!!

Nestes casos a gestante precisa tomar imediatamente uma medicação chamada ESPIRAMICINA, que deve ser iniciada o mais rápido possível e mantida durante toda a gestação. Ao mesmo tempo, é preciso investigar se o feto já não foi infectado. Para isso, é preciso fazer a pesquisa no líquido amniótico por meio de um exame que se chama Amniocentese.

E se por esse exame for confirmado que o bebê já foi infectado, o que é preciso fazer?

Caso se confirme que o feto foi infectado, é necessário tratar o feto ainda durante a gestação para impedir que ele tenha sequelas decorrente da toxoplasmose congenital.

Portanto, a toxoplasmose é uma doença perigosa para o feto durante a gestação, mas pode ser prevenida com medidas simples. E se mesmo assim a gestante for infectada, ainda é possível impedir que o feto seja infectado e tenha sequelas!

Entao o importante é realizar um pré-natal adequado para tomar as medidas necessárias o mais rápido possível!

*Autora: Dra. Natália Carvalho é Médica Ginecologista, Obstetra e especialista em Medicina fetal.